Como ensinar uma criança a esperar

khalaó | Blogue

Pode soar paradoxal mas a melhor forma de ajudar uma criança a aprender a esperar para ser atendida é não deixando que ela espere muito. Ohhhhhh… como assim?? Confira abaixo o por quê!

1 – A criança quando espera muito sofre consequências negativas em seu sistema nervoso ainda em desenvolvimento que a tornam mais propensa a ter dificuldades sócio-emocionais no futuro (ansiedade, depressão). Já te conto o que é “muito”.

2 – Quando é exposta a situações de espera estressante com frequência (esperar para comer, sair de casa, ser pega na escola, ter companhia para brincar) vai gastando suas ainda pequenas reservas de tolerância, tornando-se mais intolerante à espera.

3 – Se a criança é observada em sua tolerância à espera e não há situações de pressão para que ela dê conta do que ainda não consegue manejar, ela vai desenvolvendo melhor a capacidade de se adaptar às situações desafiadoras.

4 – Sabemos que a criança está suportando a espera proposta a ela (quando não é “muito”) se ela aceita bem a sugestão de se entreter com algo enquanto espera ou se mantém conversando com quem está próximo. Se a criança apresenta comportamentos de luta (choro, gritos, gestos brutos) ou fuga (se fecha, se cala) ela está sob um estresse ainda excessivo para ela.

5 – Essa delicadeza na aprendizagem da espera requer dos adultos prontidão para:

  • planejar o dia-a-dia da família considerando em primeiro lugar a criança e buscar cuidadores substitutos para atravessar a jornada parental sem se deixar tão de lado
  • saber interpretar os sinais da criança quando ela não está dentro da sua janela de tolerância e reorganizar os planos
  • perceber o que a criança já está dando conta e ajudá-la a reconhecer as conquistas trazidas pelo crescimento

Gostou desse conteúdo?

Acompanhe também a série #comoensinarumacriança e outros conteúdos pelo instagram @khalaoterapias !

Se tiver algum tema para sugerir para a série, mande pra mim!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *